quinta-feira, 22 de julho de 2010

Zona de rebaixamento, falta de planejamento e dinheiro público

A coluna do Jornal O Tempo de sexta trata do momento do Atlético e de seu treinador.
Vamos a ela:


Dedo na ferida

Quando Vanderlei Luxemburgo foi anunciado como treinador, a pergunta que o atleticano fazia era qual seria o título importante que o Galo conquistaria.
Ao surgirem os nomes dos reforços, quase todos de grife, a ansiedade em ver a taça erguida só aumentava.
É certo que o título do Estadual já está em Lourdes, entretanto, mesmo com a chegada de mais e mais reforços, com salários em dia, estrutura bem montada, badalação e tudo mais, o que se vê são momentos de bom futebol seguidos de fragilidade, trapalhadas, derrotas e vice-lanterna.
Onde está o erro? Na torcida que não deveria confiar no time? Na direção que não deveria ter montado uma Cidade do Galo tão boa? Na imprensa que anuncia a chegada de novos jogadores? Na Arena do Jacaré?
Ora! O presidente pediu calma e acredita que a receita vai dar certo, no entanto, o caminho para a felicidade alvinegra parece estar muito errado.
Os jogadores erram, mas o treinador – com currículo e tudo mais – tem muita culpa no cartório.
Basta comparar a campanha do ano passado com a mesma estrutura e com elenco bem inferior e treinador sem tanto brilho e constatar a dura realidade.

Outros- Sei que o pensamento imediatista não resolve, mas sei também que vários outros times sem CT e sem treinador consagrado já conseguiram atingir algum padrão de jogo. Ou o Ceará, Guarani e Prudente se ajeitaram enquanto o Atlético anunciava jogadores e mergulhava na zona de rebaixamento?

Erro- A direção não se omite e contrata, investe e cumpre com obrigações, entretanto, a idéia de ver o treinador gerenciar até hoje não vingou. O bom gerente de futebol recebe o calendário e lança metas, objetivos e contrata baseado no planejamento. O Atlético de Luxemburgo, comete o mesmo erro de montar o time durante a competição.

Sufoco- Atualmente é impossível afirmar que o Atlético vai se recuperar ainda a tempo de buscar algo a mais. Entretanto, a visão mais realista é a de que o time precisa jogar bola como time que está na zona de rebaixamento e não como um time caro e recheado de jogadores que já defenderam seleções.

2014- O mundo já alertou que o Brasil está muito lento na preparação e organização para a Copa. Ninguém tira da minha cabeça que até o atraso está no planejamento. A discussão sobre a utilização do Morumbi e o orçamento de quase R$ 700 milhões para a milésima reforma do Mané Garrincha, em Brasília, mostram claramente que o dinheiro público vai voar para muitos lados.

Um comentário:

Felipe disse...

Caro Marra, primeiro lugar, gosto muito de seus comentários. Contudo, embora esteja muito triste com os resultados, o time do galo perdeu para o corinthians e para o inter, mas jogou praticamente de igual para igual. Sem dúvida, são dois times que irão lutar pelo título e já estão montados há algum tempo. O galo perdeu, como poderia ganhar, não fossem as falhas do Fábio Costa; faz parte do jogo. Tenho certeza que os resultados virão. Perdoe-me, mas a mídia contemporânea tem que criar fatos para se auto-reproduzir e ter assunto para tratar. A torcida é pacional, mas deveria enxergar que há pelo menos uma década não temos um time como esse, mais precisamente desde 2001. O que me preocupa é o custo desse time, sem o mineirão, que é importante fonte de renda, e quem está pagando por isso. Contudo, muito embora esteja muito preocupado, CONFIO MUITO NO TRABALHO QUE ESTÁ SENDO FEITO PELO KALIL! O Galo voltou a ser tratado como grande, depois de muito tempo disputando espaço com Coritiba e Sport. FIQUEM ATENTOS ÀS FINANÇAS DO GALO, porque o time, inexoravelente, vai engrenar!! Grande abraço! Sucesso na Globo!