domingo, 8 de novembro de 2009

Flamengo fala em título

O Mineirão estava lotado. Lembrava até o Maracanã ano passado quando a festa do Flamengo estava armada e o humilde Atlético surpreendeu e venceu por três a zero. Mas a situação era diferente. Os dois times entraram em campo brigando pela ponta e são melhores que em 2008. O confronto esperado entre os artilheiros Tardelli e Adriano ainda era mais um ingrediente da partida.
Durante a semana o Atlético treinou de forma diferente. A estrutura com um volante e dois volantes/meias foi trocada por dois volantes e dois meias. A estratégia era válida pensando em marcar e inibir a criação carioca, entretanto, abdicava de ser o Atlético veloz na roubada de bola e eficiente no contra-ataque. Até que deu certo. No início da partida o Atlético marcou mais e pecava na penetração. Não foi brilhante e não foi fraco, foi normal, sem sal. Sal quem colocou na partida foi Petkovic que marcou gol olímpico e desarticulou o Galo. As saídas eram facilmente neutralizadas e o Flamengo mostrou um Maldonado que liderava a marcação com muita classe e inteligência. A roubada era feita e a saída em contra-ataque era muito forte. O Atlético só pensava em empatar e dava muito espaço criativo ao adversário. Maldonado foi premiado e recebeu com liberdade pela direita. O chileno teve calma e categoria para limpar e bater cruzado fazendo um belo gol. Terminou o primeiro tempo e o Flamengo mandou na partida.
Para o segundo tempo, Celso Roth colocou Evandro e sacou Renan. O meio passou a ter um volante fixo (Jonilson), dois volantes meias (Corrêa e Ricardinho) e um meia atuando perto da área (alternavam Ricardinho e Evandro. Evandro tentaria a penetração e até que deu algum resultado, embora a sensação clara era de um time pensando e outro desesperado. Ricardinho chegou ao gol e a pimenta que faltava entrou em campo. A torcida acordou e o Flamengo poderia ter corrido riscos. Poderia se não tivesse mostrado maturidade e consciência. Era o Atlético apertar e o Fla segurava a bola, parava a jogada, valorizava a contusão e punha em campo toques refinados. O terceiro gol nasceu fruto de individualidade de Fierro, espaço demais permitido pelo Atlético, falha do Carini e presença de Adriano, mortal na área.
O que fazer? Promover a crise? Caçar as bruxas? Jogar todo o trabalho fora? Pensar como vencer o próximo jogo e tirar conclusões da derrota? Ora! Precisa responder. O Atlético perdeu para um senhor time em campo. O Flamengo soube jogar com as adversidades e mereceu a vitória. Agora segura! O rubro negro já está em terceiro e cheio de vontade de brigar pelo título.

2 comentários:

Odilon disse...

È Marra, "como nos velhos tempos" ..... Deu Flamengo, e a proxima rodada marcara a ultrapassagem de um time que, pra muitos, assim como o Fluminense no ano passado, iria apenas brigar pra não cair depois de perder a libertadores, mas mostrou que tem time e se (aahhh, esse "se") não fosse a prioridade dada a competiçâo continental naõ tenho duvidas que seríamos campeões. Dá-lhe ZERO!!

advcustodio disse...

Falou e disse.

Na próxima rodada, os favoritos de hoje, já não estarão nas mesmas condições.

E assim ficaremos até o fibal ...

Se o Galo encaixar 3 vitórias (ou qualquer um dos 4 concorrentes) será o campeão.