segunda-feira, 13 de setembro de 2010

No momento, o importante é vencer

O jogo era de seis pontos, as duas equipes lutam para fugir da zona de rebaixamento, e o Atlético teve uma tarde de muito trabalho. A equipe do Grêmio Prudente se defendia bem e exercia forte marcação. A proposta do time comandado pelo técnico estreante Marcelo Rospide – que comandou apenas um único treinamento coletivo - era a de não perder o jogo, o empate seria um bom resultado para os visitantes.
No primeiro tempo o Atlético apresentou um bom futebol, envolveu o adversário e criou boas oportunidades. O time alternava bem as jogadas, explorando os dois lados do campo. Ricardinho e Daniel Carvalho coordenaram as investidas ao ataque. O meia Diego Souza atuou de forma discreta e, muito apagado em campo, pouco produziu. O time pressionava e os laterais Diego Macedo e Leandro - que voltava de contusão – alçaram muitas bolas na povoada área adversária.
O Atlético pressionava e na primeira etapa teve duas boas oportunidades de gol: aos 20 minutos Obina recebeu passe de Diego Souza, na entrada da área, escolheu o canto esquerdo do goleiro Giovanni, e acertou a trave; aos 25 minutos, Diego Souza, com uma bela cabeçada, obrigou o goleiro adversário a fazer uma ótima defesa e impedir o gol atleticano. O gol não veio e o nervosismo entrou em campo.

Na segunda etapa, aquilo que sobrava em uma equipe, faltava à outra.
Se o Galo cadenciava demais o jogo, o Prudente pecava por não ter um pouco mais de calma. O Atlético partiu para o ataque e, explorando os contra-ataques, o time visitante, de forma afobada, desperdiçou boas oportunidades de gol.
A equipe atleticana trabalhava bem a bola no meio-de-campo, mas não finalizava. Aos 10 minutos Diego Souza deixou o campo e, para dar mais velocidade ao time, Neto Berola entrou em seu lugar.
O tempo passava, o gol não saía e o nervosismo aumentava. A torcida impaciente demonstrava seu descontentamento, os gritos de “adeus Luxa” soavam pelas arquibancadas da Arena do Jacaré quando aos 42 minutos, Ricardinho fez ótima assistência para Obina dominar no peito, estufar as redes do Grêmio Prudente e garantir a vitória alvinegra.
O time não foi brilhante, mais uma vez alternou bons e maus momentos. Apresentar um bom futebol é importante, mas pelo momento, conquistar os três pontos foi imprescindível.(VR)



Obina, ainda lesionado, comemorou a conquista do Campeonato Mineiro do banco.
Agora, após recuperação, a participação do homem gol alvinegro será fundamental no returno do Campeonato Brasileiro.

Foto: Vander Ribeiro 02-05-2010







Colaboração: Vander Ribeiro

2 comentários:

Raphael disse...

Olha não sei se tem jeito de isso acontecer...
mas como pode o craque do campeonato do ano passado, no ano seguite ser o perna de pau do campeonato, porque não tem explicação isso... o Diego Souza não arruma nada dentro de campo ele não sabe nem pra onde correr ou onde tem ficar posicionado na aréa do adversario, acho que soh oluxa não vê isso, deixa o cara no banco pra ver o que é bom e põe o Neto Berola(que pra mim é o melhor atacante do galo atualmente) acho que um tecnico que recolocaria o galo nas alturas soh tem um Levi Culpi.. esse sim e por falar nele a onde ele anda em?
Levi vem pro galo estamos sentindo sua falta...

sds, atleticanas

Vander Ribeiro disse...

Olá Raphael,

As participações apagadas de Diego Souza são realmente inexplicáveis. Todo mundo precisa de um período de adaptação, mas o campeonato inteiro já é demais.Jogadores como Daniel Carvalho(mesmo tendo atuado em poucas partidas) e Obina já mostraram o que vieram fazer no Atlético. O péssimo rendimento de Diego Souza é inexplicável. Quanto ao Levir, o treinador está do outro lado do mundo. Atualmente comanda a equipe do Cerezo Osaka, segundo colocado do Campeonato Japonês com 40 pontos, sete atrás do líder Nagoya Grampus.

Abraço

Vander Ribeiro