segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Agora ficou mais atual ainda

Publiquei o post abaixo no dia 25 de agosto.
Acho que agora ele faz ainda mais sentido...

Treinador tem prazo de validade?
Incrível como a Maitê Proença continua bonita.
Claro que o tempo também faz das suas na atriz, mas ela se mantém bonita, viva, forte.
Hoje cedo vi em Perdizes um Alfa Romeo daqueles da década de 70.
Limpinho, bem conservado, sou capaz de afirmar que ele ainda dá um caldo.
Para alguns profissionais o tempo trabalha sempre a favor. Contudo, tais profissionais exemplares precisaram apreender o que a experiência ensinou e, simultaneamente, manter a mente viva e aberta para as novidades, para os avanços.
Uma profissão que parece ter prazo de validade é a de treinador de futebol.
Alguém vai lembrar dos tempos de Vitório Pozzo e outros mais, entretanto, um simples convite aos dias de scout, palestras motivacionais, fisiologistas, etc etc já valeria como reflexão.
Bill Shankly é um ídolo do Liverpool e com ele os Reds ganharam tudo o que poderiam conquistar, mas o tempo se foi.
Alex Ferguson se mantém no topo, mas dá sinais claros de que já foi melhor e mais estrategista. Sem falar, é claro, que na Europa os treinadores não vivem o drama do êxodo diário de jogadores e da necessidade desgantante de formar mais e mais atletas para o clube e para o mercado.
Desprezando as exceções, soui capaz de afirmar que treinador de ponta tem prazo de validade.
Observe os treinadores no Brasil e trabalhe com o tempo de vida útil e proditiva com conquista de títulos de 20 anos.
Não passa disso!
O treinador ou enche o bolso de dinheiro e começa a administrar suas riquezas ou insiste e vê sua imagem de vencedor sendo desgastada.
As exigências são muitas e os treinadores (seres humanos) passam a conviver com muitos outros problemas e são chamados à atualização diária. Os que aceitam o desafio podem se dar bem, mas muitos outros ficam pelo caminho e insistem no duiscurso vazio de vestiário.
Discurso que já deu resultado, mas hoje não dá mais.
Joel Santana, que viveu altos e baixos e teve seu primeiro título em 92 e segue com a prancheta e com estímulo, mas não conquista títulos importantes há tempo.
Luxemburgo, espertamente se cercou de uma comissão técnica recheada de pessoas que podem aparar arestas, mas não é campeão nacional e não apresenta um grande trabalha há algum tempo também.
Carpeggiani estreou com o título mundial com o Flamengo e ...
Algo me diz que brilho nos olhos e atualização constante tem feito muito mais diferença que currículo na parede.
Tenho certeza que a Maitê teve que cuidar da imagem e investiu em cremes (talvez plásticas), vida lght e saudável.
Sei que o dono do Alfa Romeo deve gastar bem com a manutenção do ex-carrão.
Treinador também precisa se manter fiel ao chamado.
Treinador precisa se atualizar. A cada dia surge um jovem valor que pode decidir a próxima partida.
Postado por Blog do Marra às 15:17

Um comentário:

renatocb disse...

Continua atual e ontem Luxemburgo provou da perspicácia da nova geração, Baresi ganhou o jogo nas alterações... além dele, Felipão também provou da relativa juventude de Cuca, que também mudou a cara do jogo entre os palestras com suas mexidas...
um abraço