segunda-feira, 15 de março de 2010

Adriano, Vagner Love e Bruno

Não é o caso de pregar o puritanismo, mas é preciso refletir sobre os fatos que envolveram os jogadores do Flamengo nas últimas semanas.
A primeira reflexão é óbvia: o que falar de pessoas que são dotadas de talento e tiveram a oportunidade de praticar a profissão mais desejada pelas crianças do Brasil? Elas devem felizes e realizadas, ou não? Devem ter entendido que a vida sorriu para eles e é compreensível esperar deles atitudes que honrem o esporte, já que o esporte é que deu a maior oportunidade a eles. Entretanto, a atitude dos jogadores não é de gratidão. Adriano é ser humano e não tem comportamento de atleta. Ser atleta é ser diferente, é ser dedicado e grato pela oportunidade. Adriano, vez por outra, é visto como problema por onde passa. Ele nunca sai deixando um gosto de "deveria ter ficado!". Entre um gol e um gole, o atacante não percebe a velocidade da vida e pode perceber tarde que poderia ter sido muito mais do que é.

Bruno teve uma infância difícil. Sofreu com a ausência da figura materna e recebeu de Deus um talento especial para impedir gols. Bruno é um goleiro excepcional, mas ele não é grato pelo talento que tem e não entende o que ele representa para a sociedade. que ele tem problemas conjugais todos nós sabemos, contudo, revelar que "sai na mão" foi totalmente desnecessário e cruel com a mulher dele e com a mulher. A imprensa não interpretou errado o que ele falou. Ele é que não entende o que representa o poder de suas falas.

Vagner Love foi visto e filmado acompanhado de traficantes armados indo a um baile funk. Algum problema em ir ao baile? Claro que não! Algum problema em visitar a comunidade? Claro que não! O problema é se deixar fotografar com o poder do tráfico. Aqueles homens que protegiam Vagner Love usando armas que não aparentavam serem de brinquedo, podem ser os mesmos que vão divulgar o que fizeram e vão ganhar mais poder no tráfico. É importante destacar que o poder no tráfico não é para distribuir leite, fazem caridade e algo mais. O poder no tráfico é que garante ruas fechadas, sangue derramado e muito choro. Ir ao baile é legal, entretanto, ser fotografado ao lado do poder bélico do tráfico é propaganda de poder que vai acabar fazendo alguém sofrer.

Uma última análise deve ser feita. Se até nós jornalistas, que devemos ter a noção de que nada somos, viramos referência para outros, o que dizer de astros do futebol? A criança cresce repetindo que quer ser o Adriano. Quando defende uma bola, nossos meninos asseguram que são o Bruno. Jogador é astro e astro é referência.É preciso proteger a sociedade de pessoas que não enxergam o que são e o que fazem.

3 comentários:

RONALDO DERLY RODRIGUES. disse...

boa tarde mario,realmente lamentável tudo o que vem acontecendo no meu flamengo extra-campo,até que dentro de campo o time vem mantendo um nível de razoável para bom,com perspectivas boas no horizonte,mas fora dele em termos de comportamento sinto vergonha,jogadores nota dez como bruno e adriano,e ao mesmo tempo figuras humanas nota zero,que Deus nos proteja,um abraço,ronaldo.

ps:como voce,neste comentário não vai nenhum puritarismo até porque todos cometemos algum tipo de erro mas parece que eles estão abusando.

Herivelto Aguiar disse...

Olá Marra!
Esses três jogadores estão jogando pelo ralo a oportunidade que muitos de nós, apaixonados pelo futebol, não tivemos.
Vale lembrar que no elenco atual do Flamengo tem também o Ramon, ex Galo, que também não é santo.

Um abraço!

Tonhão disse...

É Kalil, vc pisou na bola com camisa rosinha choque! estamos sendo motivo de chacota pelos 4 cantos do Brasil.Isso é umm desrespeito a nossa massa!

Bem , o que quero levantar é seguinte: O carlos sevidanes publicou em seu Twitter o seguinte: "Uma fonte ligada aos jogadores do Cruzeiro me informou que eles estão apenas recebendo os salários. As luvas e os bichos ainda não saíram". Olha isso é sério e ninmguém da imprensa jamais divulgou assuntos desse tipo , pois todos se borram de medo do anão de jardim. Dizem que todas imprensa é monitorada por ele e quem não cumprir as ordens dele perde o seu emprego.
E tem mais: A novidade é que o anão de jardim está envolvido com o empresário argentino, Gustavo Arribas, representante de um fundo de investimentos europeus, a HAZ Sport Agency é um exemplo. Aliás esse empresário tem laços com o empresário iraniano Kia Joorabchian, grupo MSI, Alberto Dualib (ex-presidente do Corinthians) e outros envolvidos que foram acusado de lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.

Entre 2004 e 2006, a HAZ intermediou algumas negociações entre Corinthians e MSI. Somente na transação de Tevez, os donos da empresa receberam US$ 1,6 milhão de comissão, segundo a MSI. No ano passado, um dos sócios de Gustavo Arribas – Fernando Hidalgo – esteve envolvido no escândalo da falsificação de passaportes de jogadores, na Argentina.

Segundo o anão de jardim, o Gustavo Arribas é um empresário argentino, que representa um fundo de investimentos europeu. É uma pessoa interessada em investir no palestra-BH. Ele quer contratar jogadores para colocar no palestra-BH

No dia 17 de dezembro passado, Gustavo Arribas esteve em Belo Horizonte e se reuniu com o anão de jardim. O primeiro jogador oferecido por ele ao palestra foi o colombiano Macnelly Torres, armador do Colo-Colo, do Chile. Essa negociação não evoluiu.
QUERO VER SE VCS TEM A CORAGEM DE ENTREVISTAR O ANÃO HOJE ANTES OU DEPOIS DO JOGO. E NAÕ ME VENHA COM ESSSA DE DESESTABILIZAR O TIME, POPIS VCS JA CANSARAM DE FAZER ISSO COM O ATLÉTICO

Fonte:http://www.radio98to.com.br/site/index.php?p=noticias_detalhes&id=1727