domingo, 28 de fevereiro de 2010

Obina e Muriqui vão jogar bem no Galo?

Podemos até não concordar, mas temos que ouvir.
Participando do programa Enquanto a Bola não Rola, pela Rádio Globo, o comentarista Felippe Cardoso - que trabalha no Rio de Janeiro - expressou uma preocupação com o ataque do Atlético. De acordo com Felippe, Tardelli vai sofrer jogando ao lado de Obina e Muriqui. Para ele, os dois jogadores, que jogaram um bom tempo no Rio, são normais e Tardelli deve ter seu rendimento técnico em campo prejudicado.
A imagem que Muriqui e Obina deixaram até o momento é outra, entretanto, sabemos que se trata de um início de temporada e que o time está longe de estar acertado. Será que eles vão jogar bem em Minas?
Muitos são os exemplos de jogadores que foram apenas razoáveis em outros centros e que aqui mostraram um futebol de bom nível. O exemplo mais recente é o do zagueiro do Cruzeiro Leonardo Silva, que no Palmeiras foi no máximo um reserva.

5 comentários:

danilo disse...

O Muriqui acho que foi uma boa aposta do Galo. Já o Obina não da!! Apenas o Luxa acredita nele! Ele faz muitos gols em uma mesma partida e fica outras tantas sem marcar. Foi assim no Palmeiras (Corinthians, Goiás lembram?). Além do mais o Galo está com um péssimo comando.
Saudações de um santista e apaixonado por futebol
ps- Logo logo vai estourar algumas bombas que irão da Baixada Santista para BH
aguardem!!!

Bessas disse...

Mário,

Não vejo nenhum problema, desde que tenha no meio jogadores para resguardar a defesa e sustentar o ataque nenhum problema. O problema do Galo é até agora não temos goleiro, ou um que passe confiança ao time e a torcida Carini tem falhado muito e Aranha é uma piada.

Claudinei Souza disse...

Essa eu não me atrevo a responder. Como o Danilo disse em seu comentário, o Obina foi inconsistente em outros clubes. Jogou no Flamengo marcando muitos gols no início e depois entrou em uma má fase. O mesmo aconteceu no Palmeiras. O atacante já jogou nos dois principais centros esportivos do país e seguiu à risca o tabu de ser um goleador apenas de algumas partidas e de alguns meses. Faltou provar o contrário aqui em Minas. O Muriqui, para mim, ainda é uma incógnita. O Galo é o primeiro grande clube que ele joga e ainda não provou nada para a torcida. Mas tenho uma ressalva a dizer: estamos falando do Atlético Mineiro. O clube tem a tradição de trazer jogadores em má fase ou desacreditados pela imprensa e pela torcida, e recuperá-los para a vitrine do futebol. Não posso afirmar que essa característica influa na carreira dos dois, mas não custa nada acreditar. Falo um outro exemplo: o Tardelli estava em baixa no Flamengo e deu a volta por cima no Galo. Quem sabe não aconteça com os dois? Acredito que com uma boa marcação no meio de campo e os atacantes pressionando o adversário no seu setor defensivo há, sim, a possibilidade de uma triangulação entre eles. O Luxemburgo é um técnico de alto nível e saberá o melhor momento para utilizá-los em seu esquema tático e na hora certa. O Bessas está correto, parcialmente, quanto a atuação dos goleiros. Estes sim estão precisando justificar muito mais para a massa alvinegra.
Uma ótima semana, caro amigo.

Claudinei Souza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gael disse...

Sorvete? Agora não...