segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Três homens e um destino: o clássico

O Mineirão será o palco do maior clássico de Minas. Toda a rivalidade existente entre Atlético e Cruzeiro será revivida no sábado. De em lado Luxemburgo e do outro Adilson. As perguntas são inevitáveis: quem é o favorito? Quem fica com o túnel da direita? Quem desequilibra? Quem apita o jogo?
Algumas perguntas ficam sem resposta, entretanto, o Cruzeiro tem um conjunto que o Atlético ainda não tem. O que não quer dizer que vá ganhar o jogo. Basta lembrar que o treinador alvinegro trabalha muito bem a motivação.
O túnel da direita deve ficar com o Atlético, que é o mandante. No Brasileiro já foi assim.
Diego Tardelli e Obina podem desequilibrar, no entanto, é Muriqui que tem feito gols importantes para o Galo. O Cruzeiro tem Kleber e Thiago Ribeiro voando, entretanto, é Jonathan que tem se destacado nos clássicos.
E o apito? A Federação vai fazer o tal sorteio na quinta-feira e fica a dúvida sobre quais nomes serão indicados. Como Alício Pena Júnior não vai apitar e só Ricardo Marques Ribeiro é árbitro FIFA, é certo que ele estará no sorteio. Entretanto, se puderem dirigir o sorteio ele não terá a bolinha retirada. Os outros dois nomes são: Renato Cardoso Conceição e Cleisson Veloso Pereira. A preferência é pelo nome de Renato Cardoso Conceição, que apitou jogos do Brasileirão 2009 e é mais experiente que Cleisson. Sendo ele, Cleisson ou Ricardo, é certo que teremos um iniciante no apito do maior clássico de Minas. Qualquer um que apitar vai sofrer antes, durante e depois.

5 comentários:

Bruno Pontes disse...

A cada dia que passa, falamos mais dos árbitros do que dos jogadores de futebol... Tá dureza... a FIFA tinha que ter pulso forte pra fazer uma reforma na arbitragem, já.

Marcos Araujo disse...

Até você, Mário, às vezes se perde: quando é que o Obina já desequilibrou algum jogo?

Marcos Araujo disse...

Até o Mário Marra tem seus momentos de delírio: quando é que o Obina já desequilibrou algum jogo?

JDuarte disse...

Creio que o nome do árbitro só devesse ser revelado no dia do jogo, pela manhã. Evitando-se pressão antecipada sobre o mesmo... até mesmo da parentela.

Mas, sou de opinião que o Cruzeiro não aceite juizes locais apitando os jogos. Bastou adotarmos esta medida e não perdemos mais... A arbitragem dos 0 x 4 foi uma lástima e acabou numa pizzaria...

Claudinei Souza disse...

Experiente, ou não, o árbitro terá que ter pulso forte para coibir as jogadas violentas que acontecerão durante a partida. Concordo com o JDuarte sobre a divulgação do nome do dono do apito horas antes, preferencialmente pela manhã, para a imprensa poder trabalhar. Gosto do Renato Conceição. É um bom árbitro e será uma prova de fogo para ele.
Quanto ao túnel da direita, só serve para pressionar o bandeira. Uma solução? Basta que o auxiliar não se intimide com o técnico ao seu lado e, se sentir pressionado, comunique ao árbitro principal o fato para que haja a coibição e a possível expulsão do inconveniente treinador.
Clássico é clássico. O Atlético ainda procura a sua melhor formação e o Cruzeiro já a possui. A raposa disputa e está focada na Libertadores; o Galo espera pela Copa do Brasil. O Campeonato Mineiro é um laboratório para ambos. Como classificam-se oito clubes, os dois certamente disputarão a grande final, acredito. Porém, o América pode causar uma grande surpresa nesta competição e tomar a vaga de algum deles. Vamos esperar!
Um abraço, meu amigo.