sábado, 13 de fevereiro de 2010

Primeiro tempo ótimo e segundo tempo fraco

O Atlético conquistou apenas 50% dos pontos disputados no Mineiro. O futebol apresentado pelo Atlético no primeiro tempo foi ótimo. O único probleminha foi a expulsão do zagueiro estreante Cáceres, aos 43 da primeira etapa. A expulsão, que foi exagerada pelo primeiro cartão, determinou a substituição de Corrêa e Obina. Os dois foram destaques no primeiro tempo, ao lado de Diego Tardelli.
O jogo fluía rápido e em direção ao gol. Tardelli driblava e se apresentava, Muriqui ajudava na movimentação e Obina também foi bem como homem de área. O meio com Corrêa e Ricardinho pegava mais e passava bem. Fim do primeiro tempo com 2 a 0 no placar.
O segundo tempo foi do Uberaba. Aos 22, depois de escanteio, André Nascimento cabeceou sozinho e fez o primeiro do Zebu. Naquela hora o time do Triângulo já tinha um a menos também, já que Fabiano havia sido expulso aos 12. O Atlético se retraiu e o Uberaba foi pra cima. O segundo gol saiu aos 39, com Douglas. A jogada armada no meio da defesa mostrou erro de posicionamento e acertos são necessários.
A experiência com 3 atacantes mostrou mais acertos que erros, mas a postura da equipe no segundo tempo foi muito fraca.

3 comentários:

Raphael disse...

E a falha do Carini?

Claudinei Souza disse...

Tudo bem que o Carini é mais experiente e mais rodado que o Aranha, que nunca havia saído da Ponte Preta. Porém, o goleiro uruguaio falhou em duas partidas consecutivas. Se eu fosse o aracnídeo alvinegro, trabalharia exaustivamente na correção das próprias deficiências e imporia para mim mesmo que eu sou melhor que o estrangeiro. O Aranha tem flexibilidade mas não tem uma noção completa de seu perímetro de atuação, por isso sai mal nas bolas. É um bom goleiro que precisa acreditar mais nele, em seu instinto "animal".
O problema para eles, tanto Carini quanto o Aranha, é que a grande promessa atleticana já está sendo preparada para assumir o seu lugar diante da massa. O jovem Renan Ribeiro fará história no clube assim que estiver pronto física e mentalmente para cumprir o papel que a torcida espera de um goleiro de Seleção Brasileira.
Vamos torcer para que os atuais defensores já tenham percebido isto e melhorem ainda mais as suas atuações perante a massa alvinegra.
Sorte e sucesso, Mário. Parabéns pela sua projeção em São Paulo.

Claudinei Souza disse...

Tudo bem que o Carini é mais experiente e mais rodado que o Aranha, que nunca havia saído da Ponte Preta. Porém, o goleiro uruguaio falhou em duas partidas consecutivas. Se eu fosse o aracnídeo alvinegro, trabalharia exaustivamente na correção das próprias deficiências e imporia para mim mesmo que eu sou melhor que o estrangeiro. O Aranha tem flexibilidade mas não tem uma noção completa de seu perímetro de atuação, por isso sai mal nas bolas. É um bom goleiro que precisa acreditar mais nele, em seu instinto "animal".
O problema para eles, tanto Carini quanto o Aranha, é que a grande promessa atleticana já está sendo preparada para assumir o seu lugar diante da massa. O jovem Renan Ribeiro fará história no clube assim que estiver pronto física e mentalmente para cumprir o papel que a torcida espera de um goleiro de Seleção Brasileira.
Vamos torcer para que os atuais defensores já tenham percebido isto e melhorem ainda mais as suas atuações perante a massa alvinegra.
Sorte e sucesso, Mário. Parabéns pela sua projeção em São Paulo.