sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Como se eu tivesse três anos...

O objetivo principal de um time de futebol deve ser ganhar, vencer, conquistar, somar pontos, levantar taças, etc. Para tal, um time é pensado, planejado, idealizado e treinado para superar os problemas, erros, defeitos e etc. Quando um time percebe um erro, uma carência, defeito, etc. normalmente ele vai às compras e busca reforços. Quando um time alcança notoriedade, fama, status, poder e mídia ele agrega valores e passa a lutar pelos títulos com mais bala na agulha, dinheiro, poder de compra, din din, etc. Com mais poder de compra, as chances de o time melhorar aumentam e a equipe fica mais competitiva. Falta o quê? Jogar, competir, ganhar e alcançar os objetivos.
Agora me explique como se eu tivesse apenas três anos de idade. O objetivo não é vencer? Então quais motivos levam o Cruzeiro a vender o Kleber, mesmo disputando uma competição tão importante como a Libertadores? Libertadores que dá visibilidade, que dá retorno aos patrocinadores, etc. Para trazer o Ernesto Farias? Não seria melhor ter o Kleber? Quem você quer no seu time, Farias ou Kleber?
Eu sei que o time precisa fazer caixa, que para pagar salário é necessário equilibrar, entretanto, o que fica é que o time poderia ser mais forte e perde o principal homem de ataque!!!
Me explica bem detalhadamente, por favor.

4 comentários:

Vander Ribeiro disse...

Mário,

momento no mínimo inadequado para a negociação. O time do Cruzeiro precisa é de reforços.Não deveria ser assim, os interesses financeiros sempre prevalecem. O torcedor, o clube, a paixão; todos deixados de lado.Será que uma porcetagem qualquer vale mais do que os verdadeiros objetivos do esporte? E agora? Como é que fica a torcida? Como é que fica a Libertadores? Imagino a situação do Adilson: ele não teve um time reforçado para 2010. Pedro Quem:será que vinga? Na sua opinião, o time da Libertadores de2009 era mais forte?

Abraço

Vander Ribeiro

jofap disse...

Mário, tem coisas que não tem explicação. É tão óbvio que um time que vence a libertadores, valoriza todo o elenco, que não somos nós que vamos explicar isso para os Perrelas. Um abraço, Fábio.

Rafael disse...

Gostaria de saber tb, Mario. Favor me repasse a explicação, ok ?

Claudinei Souza disse...

Vou tentar...
Vamos jogar cartas. Nós temos nove cartas e, a cada rodada, compramos ou descartamos algumas delas. Geralmente serão aquelas de que não precisaremos para vencer o jogo. Essas cartas não fazem uma trinca ou não interessam, talvez pelo descarte realizado anteriormente por um dos adversários.
O jogador que está à direita - digamos o Galo - espera que você jogue fora a carta que ele está esperando para vencer a partida. Na sequência, o outro adversário - o América - espera a mesma atitude de seu rival no jogo.
Então, querido, o Galo contratou o Obina e o América trouxe o Fábio Jr. O Cruzeiro descartou o Kléber e "pegou no monte" o Ernesto Farias. Mais ninguém para recompor a trinca desfeita!
Se fosse uma partida de pif, a analogia seria assim: a diretoria jogou fora o seu curinga e pegou um Às de paus.
E o próximo curinga está longe de aparecer novamente na mão da Raposa...