sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Adiantando o SUPER de domingo

Lembrei até do Peninha

Talvez você já tenha cantado ou ouvido uma música que fala de uma relação que começou a tomar corpo e se tornou grande demais “tudo era apenas uma brincadeira foi crescendo, crescendo...”. A campanha do Cruzeiro no campeonato brasileiro começou sem brilho e, agora, no returno, cresce, cresce e deve levar a equipe a algum lugar. Antes a briga era apenas para sair da situação constrangedora. Depois já se tornou possível lutar por um distante G 4 e agora o que se apresenta é a chance de título. É certo que já estamos na reta final, no entanto, também é certo que ninguém faz campanha melhor no segundo turno. Tudo era apenas uma brincadeira e cresceu, cresceu. O time cresceu na hora mais certa para crescer. Entretanto, a festa deve ficar apenas nas arquibancadas. O clima de euforia só atrapalharia agora. O adversário de hoje vem com pinta de rebaixado, mas uma passada de olho já basta para perceber que o elenco do Fluminense não é tão fraco como a campanha. Com mobilização dentro e fora do campo e muita concentração ainda será possível dizer que “amanhã será um novo dia” e a torcida pode ser mais feliz.

Atlético- O que é pior: Perder ou não deixar de ganhar? A sensação que deu no jogo entre Fluminense e Atlético é de que os jogadores ainda não perceberam o tamanho da oportunidade que o time tem. Perder sem tentar ganhar, na reta final do campeonato é jogar fora todo o trabalho do ano. Existe espaço também para elogiar a segurança do goleiro Carini.

Arbitragem- Toda reta final de campeonato é do mesmo jeito. Um árbitro não é bom e o outro é considerado pior ainda. O que é difícil de entender é ver árbitros que foram poucas vezes escalados durante todo o ano e agora, na hora h, apitam todos os dias. É preciso rever a decisão dos sorteios de árbitros. O árbitro mais experiente não pode ficar de fora nos momentos decisivos.

FIFA- Saiu a lista dos 23 melhores do mundo para a premiação da FIFA, dia 23 de dezembro. Apenas três brasileiros: Diego, Kaká e Luis Fabiano. O incrível é a ausência do goleiro Júlio César. A FIFA dever achar que a Espanha tem o melhor futebol do mundo e relacionou seis espanhóis. Da Argentina apenas Messi . Ballack e Ribéry da Alemanha, três africanos também aparecem.

Parreira- A demissão de Joel Santana do comando da seleção da África do Sul determinou o fim das férias de Carlos Alberto Parreira. Joel não faria milagre no país da Copa e também Parreira não fará. Entretanto, Parreira é ainda uma grife muito forte no cenário da bola no mundo. Com certeza o rosto dele será um dos mais vistos no próximo Mundial.

5 comentários:

anabela.moraes disse...

Muito interessante a visão sobre a campanha do Cruzeiro.Acredito sim na Libertadores e porque não,no título?Importante manter o ritmo e não deixar as oportunidades passarem em vão,como a derrto da atlético de ontem.saudaçõs.

Luiz Miranda disse...

Marra,
Mais uma vez voce foi perfeito em seus comentarios. Com relaçao ao maior de minas, como engolir aquela zaga ridicula(Jorge Luiz). Vejo os jogos apenas com a paixao, nao sei e nem quero saber esquemas tipo 4-4-2, 7-6-5, táticas e por aí vai... Por isso é de doer vc. ver um sonho tao perto se desmanchar nos pes de pessoas sem o menor comprometimento com o glorioso.
Grande abraço
Miranda

Blog do Marra disse...

Olá, Anabela!
Que prazer te receber aqui. A campanha do Cruzeiro é consistente do returno e pode chegar. A vitória do Palmeiras é que atrapalhou um pouco o sonho do título.
Abraço,
Mário Marra

Blog do Marra disse...

Valeu, Luiz Miranda!
Obrigado pela força e pelos elogios. Concordo plenamente. O Jorge Luís mostrou pouca técnica e pode muito bem ser substituído.
Abraço,
Mário Marra

Claudinei Souza disse...

Sabe Mário, acho que deixar de ganhar seja o mais frustrante. A expectativa da torcida atleticana era a de que o jogo seria realmente difícil mas, sabendo da importância da vitória neste momento tão ímpar, o Galo tinha a obrigação moral de vencer. Como você ressaltou, parece que alguns jogadores não atinaram que a conquista de uma das vagas para a Libertadores 2010, ou até mesmo o tão aguardado título de campeão nacional, eternizará o nome de cada um deles no hall da fama de um dos mais tradicionais clubes esportivos do país, além de uma excelente projeção na carreira para alguns.
Creio que faltou um pouco mais de calma e discernimento para que o Atlético obtivesse êxito no Maracanã. A determinação de uma equipe em mudar a vexatória condição de lanterna não poderia ser empecilho para o triunfo alvinegro.
Não estou denominando culpados, ou culpado, mas vale ressaltar alguns fatores que favoreceram a vitória fluminense.
Faltou a percepção do técnico Celso Roth em observar taticamente que o zagueiro Jorge Luiz estava nervoso desde o início da partida. Com 4 minutos de jogo ele deu um tapa no rosto do atacante do Fluminense - do qual não me recordo o nome - ao proteger uma bola que estava propriamente nas mãos do Carini. Até aí, tudo bem! O juiz não lhe deu o amarelo e ficou por isso mesmo. Em seguida, ele dá um bico para o alto e a bola, ao invés de alcançar distância, subiu quase que verticalmente. Depois ele cometeu o penalti. Acho que o Roth tinha que tê-lo orientado melhor sobre a sua postura em campo ou tê-lo trocado pelo Benitez logo no início do segundo tempo.
Não o fez e a lambança prosseguiu até a sua expulsão da partida.
O Ricardinho foi muito bem marcado e o Márcio Araújo defendeu mais do que criou. O Jonílson foi advertido logo no início da partida e teve que se preservar. O Correa foi o que mais se sobressaiu no meio de campo do Galo, digo que foi o mais lúcido. Feltri e Carlos Alberto apenas defendiam. As investidas no campo inimigo se resultavam em alguns lances que não ofereciam perigo ao gol adversário.
Quanto ao ataque, o Eder Luís pouco pode fazer devido à forte marcação do Fluminense no setor do meio campo e o Diego Tardelli fez o que se esperava dele.
A chuva, o gramado molhado e a determinação do clube carioca em escapar da ZR não são justificativas para esse deslize!
Desejo ressaltar a importante e decisiva participação do Fábian Carini na manutenção do resultado. O goleiro atleticano efetuou defesas impressionantes que ajudaram contra o infortúnio dos mineiros na competição.
Gostei muito da sua coerência quanto aos seus comentários sobre a próxima rodada.
Parabéns, meu amigo!